quarta-feira, 2 de março de 2011

Bruna Surfistinha - @vassilizai no cinema


Com uma adaptação do livro da própria personagem principal dessa trama, Bruna Surfistinha (2011), vem pra esquentar nossas salas de cinema. O filme é basicamente tudo que o livro se propõe a relatar: muitas coisas exageradas, um quê de deprê, e muito sexo o tempo todo.

O brasileiro estava ansioso para ver Deborah Secco no papel da garota de programa mais famosa do nosso país. Acredito que se fosse americano, esse longa não emplacaria uma bilheteria bastante expressiva para pouco tempo em cartaz(além de ser nacional, nós temos preconceito contra nosso cinema).

Com um começo pouco cativante, aos poucos a história começa a criar raízes e o público, eu acho, gostou muito disso. A trama pega no tranco na minha opinião.

Deborah faz um papel difícil e precisou utilizar muitos recursos, principalmente nas expressões e maquiagem para tentar expressar determinadas emoções em cada uma das cenas. Houve uma doação enorme dela, isso é louvável e achei muito centrada e competente no papel. Bom saber que temos atrizes desse calibre, espero reencontrá-la em próximas sessões de cinema. Acho que tem potencial pra cinema.

Voltando ao filme em si:

- Adorei a cena do cabeleireiro e odiei algumas outras.

- Fabíola Nascimento é a melhor das coadjuvantes... disparada. Ótimas cenas. Grande atriz.

- Mas o filme todo, não é uma montanha russa(como vemos muito no nosso cinema).


Bruna Surfistinha, a verdadeira, aparece quase de relance em uma cena no restaurante. A galera viu e começou o burburinho no meio do filme. A proposta era essa pessoal!!

Pela Deborah...vejam....


2 Postagens cinéfilas:

Renata disse...

legal !!!!!!!
ouvi do pessoal q leu o livro que o irmão não existe. Ou seja, a cena dele sentando o esporro (e a mão) nela no privê foi totalmente inventada. E que o filme omitiu o fato dela ter feito filmes pornôs...
De qualquer forma, gostei do longa!

@maisamedeiros disse...

Eu amei esse filme!
O diretor soube trabalhar bem o conteúdo que tinha nas mãos. O filme não ficou apelativo, e eu gostei do fato do diretor não ter focado de mais no lado erótico da vida da Bruna e sim nela como pessoa, mostrando suas escolhas e no que essas escolhas resultaram para ela.
O roteiro ficou ótimo e o elenco maravilhoso. Tudo na dose certa, sem apelação e exageros. O que pode ser considerado louvável para o cinema Brasileiro, já que o filme retrata a vida de uma garota de programa( Se é que você me entende ).

Enfim... Eu curti esse filme ;)

Postar um comentário

 
Copyright © Guia do Cinéfilo | Theme by BloggerThemes & simplywp | Sponsored by BB Blogging