quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Crítica do filme: 'Alabama Monroe'


Já dizia o poeta Renato Russo:  Quando tudo está perdido, sempre existe um caminho” ! Mas será? Dirigido pelo cineasta Felix Van Groeningen (que fez um excepcional trabalho em The Misfortunates) estreia nesta sexta-feira nos cinemas de todo o Brasil o indicado da Bélgica ao Oscar de melhor filme estrangeiro em 2014, um filme que vai levar o espectador ao limite do sofrimento e emoção. Alabama Monroe é um drama praticamente impecável que conta ainda com uma trilha sonora espetacular.

Na comovente história, conhecemos Elise (Veerle Baetens) e Didier (Johan Heldenbergh), duas almas que se encontram e de cara se apaixonam perdidamente um pelo outro, mesmo com tantas diferenças e particularidades. Didier é um músico apaixonado, inspirado e Elise é mais pés no chão, realista e dona de um estúdio de tatuagem. Assim, cheios de amor nos corações  eles têm uma filha chamada Maybelle (Nell Cattrysse). Quando a criança fica gravemente doente, o filme toma rumos inesperados e esse amor é levado a um julgamento cruel e com poucas chances de final feliz.

O roteiro anda em total sintonia com tudo que aparece nas telonas. Com a história nos trilhos, o palco é montado para as atuações inspiradas de Veerle Baetens e Johan Heldenbergh. Ao som de uma trilha sonora que mistura folk e uma espécie de country europeu, a emoção de cada cena chega ao público de maneira profunda tornando impossível o coração não ficar apreensivo. Mamães e papais que irão assistir a esse filme vão entender melhor quando conferirem esse belíssimo trabalho.

A mulher moderna,  centrada, responsável e tatuada dá lugar a uma mulher desesperada, inconsequente, sem rumo. Pela primeira vez na vida não sabe como superar um momento difícil. Os diálogos entre o casal, logo após os acontecimentos bombásticos que circulam o filme são de uma intensidade que impressionam, transportam o espectador para dentro dos cenários. A escorreita direção dessas cenas é a cereja do bolo deste projeto que é o representante da Bélgica na próxima grande festa do cinema.

Alabama Monroe tem quase duas horas de projeção, fato que nem percebemos por conta do tamanho envolvimento a que somos submetidos. Os olhos enchem d`água,  a emoção toma conta da sala de cinema, é uma jornada aos conflitos mais profundo de um relacionamento. Preparem os lenços, fortaleçam os corações e confiram este belíssimo e donairoso longa-metragem. Bravo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário