Meu Querido Intruso

“Leve-me para a lua e Deixe-me brincar entre as estrelas, deixe-me ver como é a primavera, em Júpiter e Marte...” Quem de nós, meros mortais, já não sonhamos em voar até a lua? O longa de Lasse Hallstrom (diretor também do excelente ‘Regras da Vida’) nos aproxima dessa experiência ao som de uma canção muito famosa que se torna o grande destaque do filme. As confusões aprontadas por Sam são interpretadas de maneiras distintas pelo público, alguns entendem outros não.

Na trama, uma jovem sonhadora vai em busca de uma nova oportunidade de trabalho numa cidade longe de sua família. Como é muito ligada aos pais, se sente muito solitária no começo, até conhecer Sam, um homem mais velho e com ele viver uma intensa e divertida história de amor. No começo as experiências são positivas mas a peculiaridade de como Sam vive sua vida geram graves problemas de relacionamento com a família de sua noiva.

O grande ponto que o filme toca é o relacionamento familiar e a chegada desse novo membro à família. Muitos atritos, oriundos principalmente da ‘demasia do agrado’ imposta pelo novo genro, e confusões ganham contornos muitas vezes dramáticos. O longa escrito por Malia Scotch Marmo diverte e emociona ao mesmo tempo. O engraçado, para quem não leu a sinopse, é que o rumo da história em muitos momentos parece que será outro. O personagem excêntrico de Richard Dreyfuss gera uma certa incógnita durante boa parte dos 100 minutos de duração da fita.

Com um ótimo elenco e uma história cheia de amor e sentimentos, que giram ao redor de relacionamentos em tons de comédia e drama, ‘Meu Querido Intruso’ agrada a qualquer tipo de público. É uma ótima dica para alugar na locadora mais próxima!
  

You Might Also Like

0 comentários