sábado, 10 de março de 2012

Crítica do filme - 'Não Tenha Medo' / 'No Tengas Miedo' (2011)

Como se livrar dos traumas vividos no seu passado? A busca por essa resposta é exatamente a história de “Não Tenha Medo”, do diretor espanhol Montxo Armendáriz. O filme é muito puxado para o drama e deixa o público com o coração na mão com tantos problemas que vemos na vida da personagem principal. A atriz Michelle Jenner interpreta a protagonista, já na fase adulta, passando ao público toda a nebulosidade que está dentro daquela triste mulher.

O filme conta a saga de Silvia, começamos pelo passado da confusa personagem, sua vida em casa com os pais, seu relacionamento com os amigos e seu difícil cotidiano preenchido com os abusos de seu pai. Quando chega na fase adulta, decide refazer sua história por completo e fugir da passividade que levava sua vida. Começa a enfrentar as pessoas que tiveram influência para uma vida tão conturbada e com isso busca a tão sonhada superação, em definitivo, dos abusos sexuais sofridos na infância pelo seu próprio pai.

O longa, que tem o roteiro assinado pelo próprio diretor, é um pouco complicado de se ver. É muito sofrimento em cena. Às vezes, parece que o filme não consegue encontrar o ritmo e os personagens ficam com pouca função em algumas sequências. Muita gente vai falar que a fita é chatinha ou não muito interessante, porém, se analisarmos pelo lado da construção dos personagens e o valor de cada um deles para a história, o espectador tem bons motivos para ver o filme até o fim.

As partes mais interessantes da história são os relacionamentos de Silvia com seu pai (interpretado por Lluís Homar, que vimos em “Abraços Partidos”), sua mãe e sua amiga Maite. Com o primeiro, traumas e mais traumas foram nascendo a cada abuso cometido pelo mesmo, para todos de fora Silvia tinha um grande pai, mas só ela conhece o verdadeiro monstro que vivia com ela em casa. Com a segunda, sua mãe, Silvia aos poucos começa a perceber que a passividade da figura materna de sua vida (em relação aos abusos sofridos) não ajudou em nada em sua formação. Com a terceira, era onde tinha um ponto de refúgio quando os problemas chegavam com muita força.

Para quem curte um drama daqueles bem intensos, vale à pena dar uma conferida nesse filme espanhol.

3 comentários:

  1. Parece interessante, estou com vontade de assistir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um filme bem interessante mas um pouco lento.

      Excluir
  2. Eu não achei um drama bem intenso.
    SÓ estou revoltada com a passividade e ignorância da mãe de Silvia.

    ResponderExcluir