quarta-feira, 28 de março de 2012

Crítica do filme: 'Protegendo o Inimigo'

Você protegeria um inimigo? No longa dirigido pelo sueco Daniel Espinosa, Ryan Reynolds dá vida ao assustado agente Matt Weston que tem a árdua missão de proteger um procurado por agências governamentais do mundo todo,  Tobin Frost, interpretado pelo ganhador do Oscar Denzel Washington. A trama é interessante, tenta prender a atenção dos espectadores com um suspense em torno de quem seria o verdadeiro traidor, porém, o longa se prolonga demais, quase se perdendo do meio para frente.

Um homem insatisfeito com seu trabalho. Assim conhecemos Matt Weston, um jovem formado em economia, por uma prestigiada faculdade, que mantém um romance caloroso com uma médica francesa. Escondendo de todos sua verdadeira profissão, vive num esconderijo da CIA atendendo telefones e jogando bolinha na parede. Toda essa monotonia muda da água pro vinho com a chegada do novo prisioneiro, Tobin Frost. Após o local ser invadido por bandidos que querem a qualquer preço a cabeça de Frost, Weston precisa fugir com o prisioneiro e aguardar ordens vindas de cima. Assim começa um jogo psicológico (o personagem principal fica perdido, sem saber em quem confiar) com um desfecho explosivo.

O personagem de Denzel é muito inteligente e tenta entrar a todo tempo na cabeça do personagem de Reynolds. Tobin Frost, ex-membro da CIA, considerado traidor por alguns, entra de repente no consulado americano, na África do Sul. Após uma sessão de torturas, com direito a agressões com toalhas molhadas começa a tentar tomar conta da situação. O veterano ator e seu brinco na orelha esquerda chamam a atenção ao mencionar o Rio de Janeiro em uma de suas falas.

O longo é altamente explosivo, muitas cenas de ação (tiros para todos os lados), destruição de barracos e carros amassados. Tem também o lado político bastante mencionado, os ótimos Vera Farmiga e Brendan Gleeson ficam nos bastidores das ações, fazem papéis coadjuvantes que tem certa importância no encerramento da história.

É um daqueles trabalhos que possui uma ótima idéia mas que poderia ter sido melhor executada. A história vai gerando expectativa mas não chega ao clímax nunca, deixando os cinéfilos decepcionados.

2 Postagens cinéfilas:

Rafael W. disse...

Não parece ser tão bom mesmo, mas eu curto o Ryan Reynolds, e ele é suficiente para eu conferir o filme.

http://cinelupinha.blogspot.com.br/

Guilherme Philipe de Matos Cerqueira Gomes disse...

Principalmente no início, muito parecido com a Supremacia Bourne.

Postar um comentário

 
Copyright © Guia do Cinéfilo | Theme by BloggerThemes & simplywp | Sponsored by BB Blogging