domingo, 13 de outubro de 2013

Crítica do filme: 'Os Belos Dias'

Com uma atuação maravilhosa da veterana atriz francesa Fanny Ardant (A Mulher ao Lado), Os Belos Dias é um trabalho simpático que inspira não só aos mais velhos mas a todos que gostam de sonhar. Dirigido por Marion Vernoux, o longa-metragem de pouco mais de 90 minutos vem conquistando adeptos de público e crítica por onde passa e para sorte dos cinéfilos que não puderam conferir no último Festival do Rio, o filme desembarcou nesta semana nos cinemas brasileiros.

Na história, acompanhamos a inteirona dentista Caroline (Fanny Ardant), uma senhora muito bonita que possui um ar jovial escondido dentro de si. Quando se aposenta, forçadamente, passa por um processo de mudança e busca por liberdade, para isso tenta quebrar sua rotina tediosa se inscrevendo em um clube sênior cheio de atividades. Lá redescobre a vida, se sente mais jovem e se envolve perigosamente com um homem mais novo - seu professor de informática - gerando uma série de acontecimentos com um desfecho emocionante.

Os problemas na relação entre Caroline e seu marido Philippe (interpretado pelo sempre ótimo ator Patrick Chesnais) dão o ar de sua graça do início ao fim do filme. O desenvolvimento repleto de conflitos e incertezas deixam o público curioso em saber qual será o desfecho desse casal que se ama mas já não se entende tanto assim. Aonde foi parar o amor deles? Porque Caroline se apaixonou por outra pessoa, ela queria viver apenas uma aventura? São algumas das perguntas que vão rondar a cabeça do espectador.

Um dos pontos altos da trama é a forma como a protagonista rende positivamente nas mãos da musa europeia Fanny Ardant (que aparece por poucos segundos, mas com o mesmo sorriso cativante, no novo longa de Paolo Sorrentino, A Grande Beleza). A atriz de 64 anos e mais de 80 filmes na carreira dá um verdadeiro show em cena. Cativante e se sentindo-se super à vontade no papel, brinda os cinéfilos com uma atuação sólida, verdadeira e que emociona de verdade. Poucas atrizes no mundo desenvolveriam tão bem essa personagem como Ardant, a escolha foi certeira, ela é o filme!


É um filme para ser conferido por cinéfilos de todas as idades. Os Belos Dias, é aquele tipo de longa-metragem francês que vale a pena pagar o ingresso, você sai do cinema renovado tendo assistido uma ótima história com personagens que vão demorar a sair de sua memória, principalmente a carismática protagonista que faça dias feios ou dias belos você sempre vai lembrar. Bravo!

1 Postagens cinéfilas:

Pequenas Partilhas disse...

Acabo de conhecer o seu blog e justamente após assistir esse filme. Rafhael, você tem razão. Ele é dirigido a todas as idades e é um filme que fica na nossa mente por alguns dias. Eu gostei muito de como foi tratado o tema envelhecimento: envelhecer com liberdade de ir e vir e com o direito de ser feliz. Um abraço.

Postar um comentário

 
Copyright © Guia do Cinéfilo | Theme by BloggerThemes & simplywp | Sponsored by BB Blogging