sábado, 30 de janeiro de 2016

Crítica do filme: 'Um Suburbano Sortudo'



Seguindo fielmente a mesma fórmula de longas metragens como a trilogia Até que a Sorte nos Separe, o cineasta Roberto Santucci (do ótimo Alucinados) volta às telonas para contar a história de um camelô que descobre ser filho de um homem muito rico. Um Suburbano Sortudo tem um roteiro um pouco mais sólido que a maioria das comédias que já assistimos por aí e conta com a vantagem de ter, talvez, um dos melhores atores entre todos os protagonistas dos últimos sucessos de bilheteria no gênero comédia (talvez ao lado de Paulo Gustavo), Rodrigo Sant’anna. 

Na trama, conhecemos o simpático Denílson (Rodrigo Sant’anna), um camelô malandro que vive humildemente com sua excêntrica família no subúrbio do Rio de Janeiro. Certo dia, acaba descobrindo que é herdeiro de um famoso milionário, seu pai biológico, dono de uma grande rede de lojas e assim começa a mudar de vida. Mas nem tudo são flores, Denílson enfrentará a ira da outra parte da família de seu pai e ainda precisará enfrentar uma grande crise nas empresas que agora é dono.

Um dos pontos positivos do filme é a humildade de Sant’anna que mesmo sendo o protagonista e grande pilar da história, sabe ser coadjuvante nos complementos que o roteiro deixa como lacunas para subtramas. A história é bobinha, costurada de maneira bem simples, gera risos por conta da facilidade do protagonista em convencer o público com sua simpatia. Nem de longe é a melhor comédia já feita aqui no Brasil, nem de longe é um excelente trabalho mas a história como um todo gera uma curiosa simpatia se você consegue se prender a alguns detalhes, como por exemplo: nas pausas dramáticas (mesmo sendo bem poucas, verdade) o filme não exagera nas piadas e consegue passar bem, com boa criatividade. Não incomoda muito como nos filmes estrelados pelo comediante Hassum, por exemplo.

Com locações em Madureira e em alguns lugares do subúrbio do RJ, Um Suburbano Sortudo, deve ter uma boa carreira no circuito. Para quem quer se divertir, com um rostos familiares na telona , o filme pode agradar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário