Crítica do filme: 'Rogue One - Uma História Star Wars'

Confiança não é questão de luxo, e sim de sobrevivência. Um dos mais aguardados, senão o mais, blockbusters do ano enfim desembarca nos cinemas de todo o Brasil nessa quinta-feira (15), Rogue One - Uma História Star Wars. Reunindo um elenco bastante competente, cenas de ação de tirar o fôlego e um roteiro extremamente competente, o filme promete agradar fãs de todas as idades em mais um trabalho competente do universo Star Wars. A forte personagem feminina também ganha destaque, belíssima atuação da ótima atriz Felicity Jones na pele da emblemática e empolgante Jyn Erso.

Na trama, voltamos no tempo na cronologia da série, já que Rogue One - Uma História Star Wars é ambientado antes dos eventos de Star Wars: Episódio IV - Uma Nova Esperança (1977), primeiro filme lançado nos cinemas. Assim conhecemos a jovem Jyn Erso(Felicity Jones), uma sobrevivente que busca objetivos para sua vida após ser separada do seu pai, o cientista Galen Erso (Mads Mikkelsen) na infância. Quando seu pai envia uma mensagem via um piloto que se rebelou contra o exército do temido Darth Vader, Jyn encontra um grupo de rebeldes e juntos partem para uma missão praticamente suicida.

Esse Spin-off da franquia Star Wars deixará o público arrepiado, tudo é muito bem feito deixando margens para pouquíssimas críticas. Ao longo dos 133 minutos de projeção (você nem sente o tempo passar), as referências aos outros filmes da sensacional franquia são inúmeros. O público irá se divertir com os diálogos nada amistosos e mesmo assim hilários entre o simpático robô K-2SO e a personagem principal, ficará surpreso com a intensidade e força dos amigos combatentes de Jyn (destaque para o ótimo Chirrut Îmwe), se emocionará em cenas emblemáticas com referências a famosos personagens da saga. Rogue One - Uma História Star Wars é um filme emocionante, mexe com o nosso coração.

A complexidade dos personagens também ganham destaques. A protagonista é uma mulher amargurada pelos acontecimentos de seu passado e basicamente vive tentando sobreviver em seu cotidiano nômade não só de moradia mas de objetivos e emoções positivas. O grupo de combatentes criado é espetacular, começando pelo corajoso Cassian Andor (Diego Luna), passando pelo enigmático Saw Gerrera (Forest Whitaker) e ainda tendo a dupla simpatia Chirrut Îmwe (Donnie Yen)  e Baze Malbus (Wen Jiang). Mas como todo filme de aventura tem que ter os vilões emblemáticos, além de Vader que - despensa comentários – vale o destaque para o ótimo Orson Krennic (interpretado pelo sempre excelente Ben Mendelsohn), baita personagem que adiciona demais à trama.


Rogue One - Uma História Star Wars chega para adicionar mais imaginação aos corações de fanáticos, nerds ou não, amantes do bom cinema, espectadores que adoram uma grande aventura e inesquecíveis personagens. E nunca se esqueçam: em todas as lágrimas há sempre uma esperança. Não percam esse filme! 

You Might Also Like

0 comentários