Crítica do filme: 'O Novato'

Escrito e dirigido pelo estreante em longas metragens Rudi Rosenberg, o sensível O Novato é um dos projetos mais legais que foram exibidos no último Festival Varilux de Cinema Francês ano passado. Falando sobre a descoberta da juventude com um ar de delicadeza bem impactante esse filme consegue transportar o telespectador para seu passado onde histórias vistas são lembradas. É um belo primeiro filme de Rudi, um longa feito para todas as idades.

Na trama, conhecemos o jovem Benoit (Réphaël Ghrenassia) um pré adolescente que se muda para uma nova escola e começa a sofrer bullying dos garotos mais populares. Tentando vencer seus medos e timidez começa a desenvolver uma linda amizade com outros jovens que, assim como Benoit, também se sentem excluídos na escola. Ao longo do tempo uma forte amizade vai se criando e várias fases da pré adolescência os amigos enfrentarão unidos e mais fortes.

O roteiro é delicado, mostra com muito simplicidade o cotidiano dessa turma super bem humorada. O primeiro beijo, a primeira paixão, as inusitadas situações aos olhos da juventude, tudo isso jogado na telona de uma maneira poética por Rosenberg. O grupo de atores mirins também dão show, há uma clara alegria em cada sequência.


Com circuito bastante reduzido, muito por conta do domínio dos blockbusters norte americanos, e, poucos cinemas que se arriscam a exibir filmes de distribuidoras menores, O Novato é um filme para todas as idades, sem dúvidas, exala sorrisos dos mais jovens aos mais adultos. Merecia mais salas de cinema exibindo.

Comentários

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *