Depois de dirigir um curta e dois episódios do seriado dinamarquês Bedrag, o cineasta sueco Gustav Möller chega ao mundo dos longas metragens de maneira impactante, com o surpreendente thriller Culpa. Exibido no Festival de Sundance e na Mostra de São Paulo desse ano, o projeto nos leva para dentro de uma sala de ligações de emergências da polícia da Dinamarca onde uma ligação misteriosa revela surpresas que se confundem sobre a vida pessoal do protagonista, interpretado com brilhantismo pelo ator sueco radicado na Dinamarca Jakob Cedergren (Submarino).

Na trama, conhecemos Asger Holm (Jakob Cedergren) um policial com um passado recente conturbado e que será julgado por suas ações em um episódio não esclarecido que contou com a cobertura de amigos que estavam no local. Designado para atender ligações de emergência da polícia Dinamarquesa, possui um comportamento apreensivo e repleto de tensão, principalmente após receber uma ligação de uma mulher desesperada dando a entender que fora sequestrada por seu marido. A partir dessa informação e entre ligações e cortes de sinal, Asger tenta solucionar essa misteriosa situação e ajudar a quem realmente é a vítima dessa história.

Parecido em alguns pontos com o ótimo Locke (filme estrelado por Tom Hardy que absurdamente nunca estreou no circuito brasileiro de exibição), principalmente no fato de ter apenas (ou quase) fisicamente um protagonista sempre em cena, Den Skyldige , no original, se desenrola de maneira alucinante, rompendo a barreira da mesmice ou superfície, repleto de plot twists de surpreender os olhos mais atentos. Quando cava fundo na vida recente de Asger, somos surpreendidos com a composição de sua personalidade e entendemos melhor toda a tensão e reflexão que o personagem passa por conta dessa ligação intrigante. A culpa é um filme de tirar o fôlego, todas as peças se encaixam aos poucos e torcemos para chegar as conclusões dessa misteriosa trama.

Programado para estrear no circuito de exibição brasileiro no dia 20 de dezembro ainda desse ano, com menos de 90 minutos de projeção, Culpa é um dos ótimos thrillers que serão lançados nas próximas semanas.

Crítica do filme: 'Culpa'


Depois de dirigir um curta e dois episódios do seriado dinamarquês Bedrag, o cineasta sueco Gustav Möller chega ao mundo dos longas metragens de maneira impactante, com o surpreendente thriller Culpa. Exibido no Festival de Sundance e na Mostra de São Paulo desse ano, o projeto nos leva para dentro de uma sala de ligações de emergências da polícia da Dinamarca onde uma ligação misteriosa revela surpresas que se confundem sobre a vida pessoal do protagonista, interpretado com brilhantismo pelo ator sueco radicado na Dinamarca Jakob Cedergren (Submarino).

Na trama, conhecemos Asger Holm (Jakob Cedergren) um policial com um passado recente conturbado e que será julgado por suas ações em um episódio não esclarecido que contou com a cobertura de amigos que estavam no local. Designado para atender ligações de emergência da polícia Dinamarquesa, possui um comportamento apreensivo e repleto de tensão, principalmente após receber uma ligação de uma mulher desesperada dando a entender que fora sequestrada por seu marido. A partir dessa informação e entre ligações e cortes de sinal, Asger tenta solucionar essa misteriosa situação e ajudar a quem realmente é a vítima dessa história.

Parecido em alguns pontos com o ótimo Locke (filme estrelado por Tom Hardy que absurdamente nunca estreou no circuito brasileiro de exibição), principalmente no fato de ter apenas (ou quase) fisicamente um protagonista sempre em cena, Den Skyldige , no original, se desenrola de maneira alucinante, rompendo a barreira da mesmice ou superfície, repleto de plot twists de surpreender os olhos mais atentos. Quando cava fundo na vida recente de Asger, somos surpreendidos com a composição de sua personalidade e entendemos melhor toda a tensão e reflexão que o personagem passa por conta dessa ligação intrigante. A culpa é um filme de tirar o fôlego, todas as peças se encaixam aos poucos e torcemos para chegar as conclusões dessa misteriosa trama.

Programado para estrear no circuito de exibição brasileiro no dia 20 de dezembro ainda desse ano, com menos de 90 minutos de projeção, Culpa é um dos ótimos thrillers que serão lançados nas próximas semanas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário