É difícil definir com apenas uma palavra essa pequena grande obra prima que fora exibido no Festival do Rio desse ano e que chega ao circuito brasileiro de exibição já na próxima semana (pena que provavelmente em pouquíssimas salas pelo Brasil). O Ódio que Você Semeia é envolvente do seu início até o seu fim. Um filme corajoso, um ótimo roteiro adaptado primoroso, diálogos que ficarão em nossas memórias durante muito tempo, atuações impactantes. São muitas as qualidades desse projeto que pode ser considerado um dos mais marcantes filmes de 2018.

Dirigido por George Tillman Jr. e com roteiro adaptado da obra homônima de Angie Thomas, O Ódio que Você Semeia conta a história de Starr (Amandla Stenberg, em grande atuação), uma jovem que vive com sua mãe Lisa (Regina Hall) e seu pai Maverick (Russell Hornsby , com atuação digna de Oscar), um ex-traficante de drogas, e seus dois irmãos em um bairro violento de uma cidade norte americana. Para fugir um pouco da violência, Lisa matricula Starr em um colégio privado em um outro bairro, bem mais nobre, da cidade. Assim, Starr vive seus dias como se fosse duas pessoas diferentes. Certo dia, após uma confusão em uma festa que estava no bairro onde mora, se vê presa em uma situação que mudaria sua vida para sempre, quando vira testemunha de um assassinato. A partir desse fato, uma grande transformação acontece na vida da jovem e onde mudará sua maneira de se impor num mundo cheio de problemas.

É uma das funções do cinema, mostrar de maneira nua e crua o que acontece na nossa realidade. O Ódio que Você Semeia vai além e apresenta argumentos detalhados para mostrar as fraquezas de uma sociedade marcada por ódio, intolerância e sem grandes suspiros para mudar radicalmente. Através de uma nova geração e seus engajamentos, suas lutas a favor do que acreditam, os personagens se encaixam nesse cenário absurdamente real e absurdamente impactante. Umas das lindas mensagens que deixa, do descontruir e construir novamente na figura do pai e suas novas crenças de mudanças pensando sempre no melhor para sua família. Esse é um daqueles tipos de filme para comprar o dvd e guardar para se mostrar para todas as novas gerações.

Crítica do filme: 'O Ódio que você Semeia'


É difícil definir com apenas uma palavra essa pequena grande obra prima que fora exibido no Festival do Rio desse ano e que chega ao circuito brasileiro de exibição já na próxima semana (pena que provavelmente em pouquíssimas salas pelo Brasil). O Ódio que Você Semeia é envolvente do seu início até o seu fim. Um filme corajoso, um ótimo roteiro adaptado primoroso, diálogos que ficarão em nossas memórias durante muito tempo, atuações impactantes. São muitas as qualidades desse projeto que pode ser considerado um dos mais marcantes filmes de 2018.

Dirigido por George Tillman Jr. e com roteiro adaptado da obra homônima de Angie Thomas, O Ódio que Você Semeia conta a história de Starr (Amandla Stenberg, em grande atuação), uma jovem que vive com sua mãe Lisa (Regina Hall) e seu pai Maverick (Russell Hornsby , com atuação digna de Oscar), um ex-traficante de drogas, e seus dois irmãos em um bairro violento de uma cidade norte americana. Para fugir um pouco da violência, Lisa matricula Starr em um colégio privado em um outro bairro, bem mais nobre, da cidade. Assim, Starr vive seus dias como se fosse duas pessoas diferentes. Certo dia, após uma confusão em uma festa que estava no bairro onde mora, se vê presa em uma situação que mudaria sua vida para sempre, quando vira testemunha de um assassinato. A partir desse fato, uma grande transformação acontece na vida da jovem e onde mudará sua maneira de se impor num mundo cheio de problemas.

É uma das funções do cinema, mostrar de maneira nua e crua o que acontece na nossa realidade. O Ódio que Você Semeia vai além e apresenta argumentos detalhados para mostrar as fraquezas de uma sociedade marcada por ódio, intolerância e sem grandes suspiros para mudar radicalmente. Através de uma nova geração e seus engajamentos, suas lutas a favor do que acreditam, os personagens se encaixam nesse cenário absurdamente real e absurdamente impactante. Umas das lindas mensagens que deixa, do descontruir e construir novamente na figura do pai e suas novas crenças de mudanças pensando sempre no melhor para sua família. Esse é um daqueles tipos de filme para comprar o dvd e guardar para se mostrar para todas as novas gerações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário