sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Inquietos - Cinema com Raphael Camacho


Poucos diretores conseguem tratar de um assunto tão dramático e difícil com tamanha maestria. Gus Van Santé um desses. Em seu novo trabalho, ‘Inquietos’, não deixa o público tirar os olhos uma vez se quer da frente da telona. Valeu a pena conferir no último dia de sessão, praticamente encerrando a minha participação no Festival do Rio desse ano. O filme tinha que ser emblemático,Van Sant não deixou por menos. O sorriso da platéia após a sessão só comprovava a sensação que tive quando os créditos finais começaram a subir.

Henry Hopper dá vida à Enoch Brae, um rapaz com um passado muito triste que frequenta velórios, compensando sua não ida ao enterro dos pais (fato que sabemos no decorrer da trama). Isso vira uma espécie de “ritual” em sua vida. Tudo muda quando entra na história a bela Annabel Cotton (interpretada pela carismática atriz polonesaMia Wasikowska). Eles se conhecem em uma das idas de Enoch à uma dessas cerimônia e de lá nasce uma amizade, que vai virando amor, a cada take seguinte. Após saber que uma das partes dessa paixão está com câncer terminal, resolvem aproveitar cada segundo de suas vidas sendo provocativos com as idéias e o mundo, inquietos.

Henry e Mia tem uma harmonia impressionante em cena. Fruto dá ótima condução, já mencionada, do famoso diretor da produção.

Antes do longa começar, você pensa que a interação será feita por uma dupla. Porém, logo no início da 
trama, vemos que um terceiro elemento tem bastante importância na história. No caso, um personagem fruto da imaginação do jovem protagonista, um ex-militar japonês, interpretado com bastante firmeza pelo ator Ryo Kase.Hiroshi Takahashi é como se fosse um inconsciente de Enoch. Os dois mantém ótimos diálogos durante o filme.

Danny Elfman faz uma trilha fabulosa que compõe perfeitamente cada segundo do que vemos em cena. Mais um trabalho excepcional desse genial artista.

A carga emocional vai aumentando, fazendo o coração saltar até a boca. Muitos espectadores, principalmente, quando o longa ruma para seu desfecho, começam a ficar com os olhos repletos de lágrimas. Resumindo: a emoção toma conta da sala do cinema!

Curta cada segundo de sua vida, seja inquieto!

Recomendado!

0 Postagens cinéfilas:

Postar um comentário

 
Copyright © Guia do Cinéfilo | Theme by BloggerThemes & simplywp | Sponsored by BB Blogging