quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Top 10: Piores filmes de 2011

Olá cinéfilos! Analisando as críticas dos filmes que vi esse ano, resolvi montar um ranking com os dez piores filmes de 2011. Confesso que vi muito mais longas bons do que ruins, nesse bom ano para o cinema. Nessa triste lista temos bons atores fazendo filmes tenebrosos!
Bem, chega de papo. Vamos mostrar um por um, os piores desse ano!



 Eu Queria ter a sua Vida
O novo longa de comédia estrelado por Ryan Reynolds e Jason Bateman tem alguns momentos desnecessários e diálogos sem graça, dirigido por David Dobkin (que fez também a comédia ‘Penetras Bons de Bico’) bate o recorde de clichês em uma produção nesse ano.
Jason Bateman é um ator que possui boas atuações no curriculum, mas brincar com crianças na tela, ninguém supera Jim Carrey e sua “garra” (referência ao filme O Mentiroso). Sempre que há uma cena semelhante é inevitável essa comparação.
Em vários momentos, parece que Ryan Reynolds volta à pele do personagem que ficara famoso no filme O Dono da Festa, Van Wilde. Uma grande decepção essa atuação, desse bom ator. Ele tinha evoluído muito desde seu primeiro filme, recentemente Enterrado Vivo provara isso.
Olivia Wilde (que está fazendo muitos filmes esse ano, pegando carona no sucesso de sua personagem no seriado House) aparece como coadjuvante e par romântico de um dos amigos na história. A personagem não aparece muito e Olivia ainda continua à espera de uma grande chance como protagonista.
Alan Arkin e Leslie Mann completam a lista dos coadjuvantes. O primeiro poderia ter sido muito melhor aproveitado e a segunda soma mais um filme tenebroso em sua carreira.

A Coisa
O longa dirigido por Matthijs van Heijningen Jr. Poderia ter sido chamado de ‘Pique-Esconde na Antártida’. Problemas técnicos são notados a todo instante, principalmente em relação à efeitos especiais e ao som. A protagonista Kate Lloyd, interpretada pela atriz Mary Elizabeth Winstead, não tem um pingo de carisma. Uma atuação para se esquecer. Não tem outra maneira de começar falando sobre esse novo filme de suspense.
O monstro, ou A Coisa (como preferirem), tem aspectos de tentáculos e parece que foi projetado pelo Doutor Octopus (referência ao clássico vilão do Homem-Aranha).
Não é possível entender como o ótimo artista dinamarquês Ulrich Thomsen, de filmes magníficos como Brothers e Festa de Família, fez esse filme. Um grande ponto negativo em sua gloriosa carreira.
No longa, tem uma parte em que há uma seleção para saber quem tem obturação ou não. Quem tem obturação é humano, quem não tem pode ser um alienígena. Isso quer dizer que quem não escova os dentes é humano com certeza e quem escova pode ser uma alienígena? Esquisito não?

Dylan Dog e as Criaturas da Noite
Um filme de monstros, de roteiro bem fraco e com um protagonista sem carisma algum. Assim começo falando sobre essa esperada adaptação dos quadrinhos de Tiziano Sclavi.
Brandon Routh é um péssimo protagonista, não envolve o público e deixa a desejar. Muito difícil entender o porquê dessa escolha pela produção do longa. A probabilidade de dar certo era ínfima. O resultado foi um filme que ficou descaracterizado, tendo bons momentos apenas quando o companheiro de aventuras de Dylan aparece transformado em Zumbi - algumas cenas parecem aquelas provas de comida do programa de televisão Hipertensão.
As maquiagens das “criaturas da noite” são bizarras, não gostei nenhum um pouco. Algumas são bastante estranhas. Me lembraram muito dos vampiros de Angel e Buffy.


As Viagens de Gulliver
Chega a ser deprimente ver um ator carismático como o Jack Black chegando, literalmente, ao fundo do poço com mais um filme sem sal e totalmente fora de sintonia com a historia de Gulliver. Jonathan Swift (autor da obra original) deve estar se revirando para todos os lados de seu túmulo com essa enfadonha adaptação.
Tudo no filme é muito ruim. Jason Segel, o qual, eu considero um bom ator de comédias tem uma atuação que chega a ser irritante. Amanda Peet é amigona do Jack Black para aceitar um papelzinho mixuruca daqueles.  Emily Blunt tem decretado seu pior filme do currículo, muito chato dizer isso porque eu a adoro como atriz.
A cena e a maneira como o personagem principal, Gulliver, vai parar na terra dos “pequenos seres” é extremamente mal feita, cafona e sem criatividade nenhuma.  Uma das piores cenas que já vi na minha vida.

Sexo sem Compromisso
Em tempos de super estrela e excelentes prosas da critica especializada , Natalie Portman põe em risco tudo isso com o lançamento desse filme que vos falo. ‘Sexo sem Compromisso’, tem um início arrasadoramente tenebroso com diálogos dignos de um adolescente totalmente confuso em relação a sua vida. A roteirista, tem muitas parcelas de culpa nesse assombroso (no mal sentido mesmo) longa. Eu não consigo acreditar como uma atriz como a Natalie Portman (que esta tão delicada e arrebatadoramente sedutora em ‘Cisne Negro’ e ‘Closer’) se deu ao luxo de fazer uma produção tão porcaria como essa. Ivan Reitman (‘Ghostbusters’) também outra grande decepção, uma direção preguiçosa que não consegue entreter como em outros trabalhos. Em relação ao Asthon, o quê dizer? Não consegue ser diferente em seus trabalhos e pra mim já virou sinônimo de filme ruim! Se eu pudesse dar um conselho a esse último, seria voltar a fazer produções com roteiros interessantes, caso de ‘Efeito Borboleta’.

Reféns
O que falar de mais uma produção contestada do ex-grande ator Nicolas Cage? Mais um filme para ser esquecido. Depois dizem que eu implico com ele...
Você vai lembrar de ‘O Quarto do Pânico’ logo nas primeiras cenas, a dinâmica é bastante parecida. O que se diferencia é que Kyle Miller (personagem do vencedor do Oscar por ‘Despedida em Las Vegas’, Nicolas Cage) vira um personagem enigmático em cena. Sem sabermos o que realmente é verdade, os diálogos vão acontecendo e não conseguimos prever o que ocorrerá após os mesmos. Tinha tudo para ser um ótimo personagem senão fosse o final pífio que arranjaram ao peculiar Kyle!

Apollo 18
Parece uma espécie de documentário feito sem edição e com sequências um tanto quanto bizarras, que me lembraram muitos filmes. A analogia cinéfila mais clara é com certeza da mistura entre Atividade Paranormal e Alien - O Oitavo passageiro. Passou muito longe de ser considerado um filme bom. Com direito a corridas na lua (isso mesmo) e uma trama mais bagunçada que o meu quarto, ‘Apollo 18’ com certeza figurará na lista dos piores de muitos veículos que falam de cinema.

The Resident
Que eu gosto da Hilary Swank como atriz, é verdade. Mas tenho que confessar que nem tudo que ela faz é bom.  Depois de sair maravilhado com a atuação dela em ‘Conviction’ fui com fé para ver o seu mais novo filme, ‘The Resident’. Juro que não li uma vírgula qualquer sobre o filme, nem comentários do povo cinéfilo pelo Twitter ou Facebook, o que me fez querer acreditar mais ainda na história que iria ver.
Porém, o filme me decepcionou.  Uma trama uniforme, sem momentos de tensão, nem aquele frio na barriga você sente. É como se tivesse vendo um filme sem emoção, e no gênero terror, uma produção sem emoção ou calafrios, não sobrevive à ira cinéfila! Como assim o Christopher Lee aparece poucos minutos e some do filme sem explicação. Justamente ele, que tinha o maior potencial de fazer a gente sentir algum tipo de mal estar emocional.
Jeffrey Dean Morgan tenta fazer um papel sombrio psicologicamente...sem sucesso. Talvez ele deve pedir para voltar a ser o pai da dupla de Supernatural(seriado).....
O diretor Antti Jokinen tenta inventar demais e aos 25 minutos consegue rebobinar a fita para vermos as ações em outra linha de visão...ficou péssimo. Me senti vendo ‘Ponto de Vista’.
Muito pouco para um filme que tem uma atriz com 2 oscars, e que, definitivamente não combina com filmes desse gênero.

Waiting for Forever
Tudo dá errado nesse novo filme da atriz Rachel Bilson, que ficou conhecida como umas das riquinhas fúteis do seriado ‘The O.C’
Na trama uma jovem artista(uma espécie de atriz/apresentadora) volta pra casa após seu pai ficar debilitado, em contrapartida, um homem obcecado por ela vai em busca (bizonhamente falando) do amor da vida dele. Eu juro que eu não entendi como uma pessoa consegue ser tão esquisita o filme todo e o ator parece que está se divertindo, comprando aquela idéia maluca que ninguém que tem o mínimo de inteligência consegue absorver. A Srta. Bilson ta com aquele “ar de Bella” (Saga dos Vampirinhos) o filme todo. Sem expressões, parece a mulher gelo e extremamente forçada em muitas cenas, deixando a produção insuportável para qualquer pessoa. O diretor, James Keach, já havia feito o horroroso “Blind Date” com o Chris Pine, e agora consegue fazer um bem pior. Ladeira abaixo é muito pouco para expressar o caminho dele no cinema como diretor.

A Casa dos Sonhos
O esperado novo longa de Jim Sheridan tenta surpreender com a dinâmica de outro filme famoso (cujo nome é melhor não revelarmos para não estragarmos algumas surpresas dessa fita), mas não conta com uma trama sólida e nem personagens que envolvem o público, se tornando uma grande decepção.
Estranho ver Daniel Craig rindo nos filmes, já que geralmente encarna o estilo “Bronco Bad Boy”, como quando interpreta James Bond e outros personagens. Naomi Watts faz o papel da enigmática Ann, vizinha do novo casal, a famosa atriz está irreconhecível e faz um dos piores longas de sua carreira.
É um suspense cheio de reviravoltas que confundem muito o espectador. As atuações são fracas e não condizem com os nomes em questão. A soma de tudo isso é uma saldo bastante decepcionante. Resumindo, a ‘Casa dos Sonhos’ acaba se revelando um pesadelo da sétima arte.

Bem galera, essa foi a lista! Concordam? Discordam? Comentem! J Viva o cinema!

0 Postagens cinéfilas:

Postar um comentário

 
Copyright © Guia do Cinéfilo | Theme by BloggerThemes & simplywp | Sponsored by BB Blogging