terça-feira, 27 de março de 2012

Sérgio Britto dos Titãs conversa sobre cinema com Raphael Camacho

(Reprodução)
Carioca, 52 anos, Sérgio Britto é um dos músicos mais respeitados de todo o Brasil, compositor de grandes sucessos, como por exemplo: “Enquanto Houver Sol”, “Diversão”, “Homem Primata”, “Flores”, “Porque Eu Sei que é Amor”, “Nem Cinco Minutos Guardados” e “A Melhor Banda de Todos os Tempos da Última Semana”.

No começo da década de 80 formou a banda Titãs junto com ex-companheiros do Colégio Equipe, onde cursou o ensino médio. Em 1982 o primeiro disco, do recém formado conjunto, é lançado com grande êxito. Entre ótimas músicas, o sucesso "Sonífera Ilha” se tornaria um dos hinos do grupo que rapidamente ganhou fama nacional, que sobrevive até hoje.

Com uma longa carreira recheada de grande sucesso e integrante de uma das maiores bandas de rock do Brasil, Sérgio Britto conversou com o repórter Raphael Camacho respondendo a três perguntinhas sobre cinema. Citando Hitchcock e Marlon Brando, o veterano artista mostrou que também entende de sétima arte.


1) Qual o seu filme preferido e porquê?

Sérgio Britto: É difícil falar de um só... Vou ficar com "Janela Indiscreta" do Alfred Hitchcock. Pelo roteiro maravilhoso, a fotografia, a beleza incrível da Grace Kelly, a atuação precisa e econômica de James Stewart, etc. Acima de tudo pela mestria com que Hitchcock sabia contar uma história.


2) Qual foi o último filme que você viu?

Sérgio Britto: "Winter, o Golfinho". Com minha filha de 4 anos.


3) Qual o artista (pode ser nacional ou internacional) que você mais gosta dentro do universo do cinema?

Sérgio Britto: Marlon Brando. Por tudo. Fora o enorme carisma que tinha tanto dentro e quanto fora das telas deixou uma galeria absurda, pela variedade e riqueza, de filmes e personagens clássicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário