Top 5 - Piores e Melhores - Liam Neeson


Sir William John Neeson nasceu no ano de 1952, é um ator irlandês. Filho de uma cozinheira e um zelador. Seu nome é a forma irlandesa e escocesa, do nome William (Aqui no Brasil ele se chamaria William Neeson, por exemplo).  Vindo de uma família pobre, com menos de dezoito anos já trabalhava como operador de grua ao mesmo tempo que mantinha uma carreira de pugilista amador. Com 11 anos, Neeson andou pela primeira vez no palco. Sua professora de Inglês lhe deu o papel principal numa peça da escola, que ele aceitou porque a menina se sentiu atraído seria protagonista. A partir de então, ele continuou atuando em produções escolares para os anos seguintes.  

Foi estudante de física e estudante de graduação de ciência da computação na Universidade Queen de Belfast em Belfast, Irlanda do Norte, antes de sair para trabalhar para a cervejaria Guinness. Ele descobriu um talento para o futebol na Universidade de Queens, quase seguindo na carreira de jogador profissional. Após alguns anos assim resolveu partir para a cidade de  Belfast para tirar o curso de professor. Contudo, em 1976, sentindo-se tentado pela carreira de ator, inscreveu-se numa companhia de teatro de Belfast.
Em 1980, o cineasta John Boorman o vi no palco, atuando como Lennie Pequeno em “Of Mice and Men”, e ofereceu-lhe a parte de Sir Gawain no filme Artur, “Excalibur”. Depois de “Excalibur”, Neeson se mudou para Londres, onde continuou a trabalhar no palco, filmes de orçamento pequeno e séries de televisão. Em 1987, Neeson tomou uma decisão consciente para ir para Hollywood, a fim de estrela em papéis de alto perfil.

A grande oportunidade de Neeson surgiu quando Steven Spielberg, de visita a Londres, ficou impressionado com o seu talento em palco e com as suas aparências físicas com o personagem do projeto que tinha em mãos. Imediatamente convenceu-o a aceitar o papel de Oskar Schindler, industrial alemão que salvou perto de um milhar de judeus das garras dos comandantes SS dos campos de concentração em “A Lista de Schindler”, 1993. Após o grande trabalho nesse filme virou figurinha carimbada de muitos filmes grandiosos e marcou de vez sua presença no concorrido mundo Hollywoodiano.

Abaixo analisaremos os cinco melhores e os cinco piores trabalhos desse ator que foi nomeado oficial da Ordem do Império Britânico por Rainha Elizabeth II, na Lista de 1999. Serei muito breve nos comentários dos filmes – assim, o artigo não fica muito grande e ninguém usa a desculpa de que ficou com preguiça de ler (rs). Ainda assim, peço desculpas a todos.


Os 5 Melhores de Liam Neeson
A Lista de Schindler – Kinsey - Café da Manhã em Plutão - Rob Roy - Os Miseráveis

5+ “Os Miseráveis” (Les Miserables, 2008) de Bille August
Uma das melhores adaptações do célebre livro de Victor Hugo. Bille August tem uma direção muito inteligente e uma visão muito interessante sobre essa história que está no imaginário de muitos. Liam Neeson é um ótimo Jean Valjean.


4+ “Kinsey - Vamos Falar de Sexo” (Kinsey, 2004) de Bill Condon
Um filme muito agradável que conta a história de Kinsey, levantou dados sobre o comportamento sexual de milhares de pessoas. Liam dá um show no papel do protagonista.


3+ “Café da Manhã em Plutão” (Breakfast on Pluto, 2004) de Neil Jordan
Um dos grandes trabalhos do excelente Cillian Murphy é essa fita dirigida pelo também competente Neil Jordan. Contando a história do travesti amargurado ‘Kitten’, “Café da Manhã em Plutão” é um filme sensível que precisa ser conferido por todos os cinéfilos.


2+ “Rob Roy - A Saga de uma Paixão” (Rob Roy, 1995)  de Michael Caton-Jones
Na pele do herói escocês que dá nome ao filme de Michael Caton-Jones, Liam Neeson provou mais uma vez porque é um dos atores mais talentosos de sua geração. Seu dueto com Jessica Lange é inesquecível. Filme para ver e rever.


1+ “A Lista de Schindler” (Schindler's List, 1993) de Steven Spielberg
A obra-prima de Liam Neeson. A principal atuação de sua carreira e sem dúvidas o melhor filme que já participou. Uma obra inesquecível do diretor das multidões Steven Spielberg.



Os 5 Piores de Liam Neeson
Fúria de Titãs - Esquadrão Classe A – Cruzada - Um Tira à Beira de uma Neurose - Fúria de Titãs 2



5- “Um Tira à Beira de uma Neurose” (Gun Shy, 2000) de Eric Blakeney
Misturando colapso nervoso e sessões de psicologia, “Um Tira à Beira de uma Neurose” tem um roteiro muito embolado. É o famoso caso de ótimo material humano não muito bem aproveitado. Um dos piores filmes do currículo de Liam.


4- “Cruzada” (Kingdom of Heaven,2005) de Ridley Scott
Um terrível filme sobre o tema. Merece ser desossado e analisado item por item mas não é o caso para agora. Umas das piores produções de Ridley Scott. História tediosa que não se encaixa, muito por conta da falta de carisma de Orlando Bloom.


3- “Fúria de Titãs 2” (Clash of the Titans, 2012) de Jonathan Liebesman
Em tempos de guerra, se você tem poder, então você tem dever. Seguindo essa linha de chamada de guerreiros que estavam aposentados, temos o pontapé do novo trabalho do Sul-Africano Jonathan Liebesman (“Invasão do Mundo: Batalha de Los Angeles”), “Fúria de Titãs 2”. Na eminente guerra, onde Deuses e homens são afetados, quem acaba sofrendo é o público com atuações muito fracas e uma história apenas superficial. Pode ser até que vire um grande jogo de vídeo game, mas como filme deixou, novamente, muito à desejar.


2- “Esquadrão Classe A” (The A-Team , 2010) de Joe Carnahan
Baseado em série de TV de sucesso, “Esquadrão Classe A”, conta a história de um grupo de soldados que fora condenado por um crime que não cometeram. Não dá para entender o que é pior no filme, as atuações ou a direção. Até para quem gosta de filmes do gênero vira um programa tediante ver esse filme.


1- “Fúria de Titãs” (Clash of the Titans, 2010) de Louis Leterrier
Tinha tudo para ser um dos grandes filmes sobre mitologia já feitos, infelizmente passou longe disso e acabou se tornando um dos piores. Nada se encaixa e a mitologia praticamente não existe. Lamentável em muitos sentidos.



Menção Honrosa ou Horrorosa: No filme "Simplesmente Amor" o veterano ator homenageado nesse Top 5 mostrou toda habilidade emocional cênica ao lado de outros grandes artistas.  

You Might Also Like

0 comentários