terça-feira, 13 de agosto de 2013

Especial - Top 10 Alfred Hitchcock

Sir Alfred Joseph Hitchcock nasceu em 13 de agosto de 1899, em Leytonstone, Inglaterra. Filho de um feirante de frutas e verduras e de uma dona de casa, o marcante uso de muitas técnicas de suspense e criador do gênero thriller psicológico dirigiu mais de cinqüenta filmes em uma carreira de seis décadas. Ele foi pioneiro no uso de uma câmera feita para mover-se de uma forma que imita o olhar de uma pessoa, transformando a interação do público com a história uma grande diversão.

Durante a Primeira Guerra Mundial, Hitchcock foi rejeitado para o serviço militar por causa de sua obesidade. Tempos depois, durante a década de 20, o diretor de Um Corpo que Cai transitava da fase adolescente para a vida adulta. Certo dia, viu em uma revista que uma empresa de cinema dos Estados Unidos, iria criar um estúdio. Apressou-se em apresentar alguns esboços de letreiros para filmes mudos que tinha projetado em uma agência de publicidade que trabalhara. Os gerentes do novo estúdio adoraram o que viram e a empresa o contratou como desenhista de letreiros. Assim, começava sua trajetória vitoriosa dentro do cinema.

A estreia de Alfred Hitchcock em Hollywood foi com o filme Rebecca (1940), que veio a vencer o Oscar de melhor filme (único filme dele a ganhar um Oscar na categoria principal). Depois dessa grande sucesso, colecionou excelentes filmes em sequência ainda na década de 40: Sabotador (1942), Quando Fala o Coração (1945), Festim Diabólico (1948). No início da década de 50, o auge de seu cinema chegou com os inesquecíveis Pacto Sinistro (1951), Janela Indiscreta (1954) e dois dos seus maiores sucessos Um Corpo Que Cai (1958) e Psicose (1959).

Em 1980, já aclamado por crítica e público, Alfred Hitchcock recebeu uma das maiores honrarias européias, a Ordem do Império Britânico, das mãos da Rainha Elizabeth II. Ele morreu quatro meses depois, de insuficiência renal, em sua casa nos Estados Unidos. Para conhecê-lo melhor, o Núcleo do Cinema listou os 10 melhores filmes do emblemático artista britânico. Veja abaixo:

10) O Homem Que Sabia Demais (The Man Who Knew Too Much, 1956)
Ao lado do ator que mais trabalhou em seus filmes, James Stewart, o britânico mestre do suspense topou o desafio de refilmar um clássico norte-americano onde acompanhamos a história intrigante de um homem que presencia um assassinato e conta esse segredo a um casal. Antes mesmo de conseguirem contar às autoridades policiais, o filho deste casal é seqüestrado pelos assassinos.  Assim, o espectador embarca em uma saga emocionante com diversas surpresas pelo caminho.

9) Os Pássaros (The Birds, 1963)
Você tem medo de pássaros? Poderá mudar sua opinião depois de conferir esse clássico do cinema. Após seu auge na década de 50, Hitchcock – já radicado nos Estados Unidos – dirige uma história deveras inusitada focada em uma mulher chamada Melanie (Tippi Hedren) que leva um casal de passarinhos para dar de presente a uma amiga. Só que estranhos acontecimentos começam a acontecer quando a mesma chega em uma cidade costeira e bizarramente é atacada por uma gaivota, iniciando uma série inexplicável de ataques envolvendo pássaros. Um dos filmes inesquecíveis do homenageado neste especial.

8) Intriga Internacional (North by Northwest, 1959)
Cheio de cenas emblemáticas que pairam o imaginário cinéfilo até hoje, Hitchcock foge um pouco dos finais emblemáticos contando a história de um publicitário, morador de Manhattan, que se envolve em uma complicada trama de espionagem. Confundido com um agente secreto, é perseguido através dos Estados Unidos por agentes de um misteriosa organização, que acreditam que ele esteja interferindo com o roubo de um microfilme secreto.

7) Os Trinta e Nove Degraus (The Thirty Nine Steps, 1935)
Quem nunca sonhou em bancar o detetive? O despretensioso Os Trinta e Nove Degraus, um dos filmes dirigidos no início da carreira de Hitchcock conta a história de um homem chamado Richard Hannay (Robert Donat), que ao passar as férias em Londres, se vê envolvido em uma trama complicada após conhecer uma misteriosa mulher que lhe confidencia algo sobre um caso de espionagem. Quando ocorre o óbito desta, Richard decide ele mesmo resolver o caso. O filme ganhou uma adaptação recente nos palcos brasileiros tendo os artistas Dan Stulbach (Onde Está a Felicidade?) e Danton Mello (O Concurso) como protagonistas.

6) Festim Diabólico (Rope, 1948)
O que falar sobre um crime perfeito? Um filme deveras utilizado nas faculdades de direito mundo à fora, Festim Diabólico é ambientado em uma Nova York cheia de trânsito e pessoas estressadas, onde conhecemos dois inteligentes jovens que matam um colega apenas para provar a si mesmos que podem cometer um crime perfeito, escondendo o corpo em local visível durante uma festa para testar suas habilidades e espertezas. Como termina essa história? Confira, surpreende!

5) Disque M para Matar (Dial M for Murder, 1954)
Ambientado em um clima noir, Disque M para Matar é um filme constantemente exibido nos canais de tv paga brasileiras. Na trama, conhecemos um ex-tenista profissional que bola um maquiavélico plano para matar sua companheira, por conta de dois motivos: uma grande herança que ela recebera e para se vingar de uma traição. Assim, dando prosseguimento ao plano, chantageia um amigo para que estrangule sua mulher. Como em todo filme bom de terror, algo sai errado e modificações precisam ser feitas para nos chegar nos objetivos planejados.

4) Janela Indiscreta (Rear Window, 1954)
Neste excelente suspense, acompanhamos a saga dolorosa de um repórter obsessivo que passa a bisbilhotar a vida de seus vizinhos por simples voyeurismo, quando em um acidente, quebra a perna e precisa permanecer em descanso total. Após ver uma cena que foge do comum, com a ajuda de sua namorada (que alimenta suas teorias), tenta provar que um desses vizinhos matou a mulher e escondeu o corpo. 

3) Pacto Sinistro (Strangers on a Train, 1951)
Um dos melhores roteiros que Hitchcock teve o prazer de dirigir. Em Pacto Sinistro – filme pouquíssimo falado pelos cinéfilos – conhecemos Bruno Antony (Robert Walker), um psicótico e filho mimado, que encontra em um trem um indivíduo chamado Guy Haines (Farley Granger) - famoso tenista da época que planeja entrar para a política muito em breve. Ele é namorado da filha de um senador, com quem espera se casar logo assim que conseguir o divórcio. Após uma grande conversa, eles então combinam sobre trocar o assassinato do pai de Bruno pelo da esposa de Guy. Somente um deles leva a sério.

2) Psicose (Psycho, 1959)
O que falar sobre um dos filmes mais comentados pelos amantes dos filmes de suspense e terror? Em Psicose, as surpresas que são deixadas para o seu desfecho são os grandes destaques. Na trama diabólica, somos levados ao universo de uma mulher que está cansada da vida que leva, a secretária Marion Crane. Certo dia, furta US$ 40 mil que deveria guardar para o seu chefe, fugindo para outro estado para encontrar o grande amor de sua vida. Correndo contra o tempo, hospeda-se num motel, onde é atendida por Norman Bates, o esquisito e doente dono do estabelecimento. Esse é um daqueles filmes que você não pode contar o final, senão estraga.

1) Um Corpo Que Cai (Vertigo, 1958)

Em um dos maiores clássicos, não só da carreira do velho mestre mas do cinema, Hitchcoch mostra toda sua maestria ao conduzir o público a cada detalhe sobre a história de um aposentado detetive Scottie Fergusson (James Stewart), que sofre com vertigem de alturas por conta de um trauma de seu passado. Mesmo assim, é contratado por um ex-colega de faculdade para vigiar a mulher dele, Madeleine, uma bela no mínimo suspeita. O longa possui um final que surpreende a todos os cinéfilos.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário