sábado, 24 de outubro de 2015

Crítica do filme: 'A Acusada' (Lucia de B.)



Dirigido pela cineasta holandesa Paula van der Oest, A Acusada é um daqueles impactantes filmes de tribunal onde a cada sequência vamos tendo novas argumentações, e, segredos são revelados. Com uma atuação beirando ao espetacular da experiente atriz Ariane Schluter, o longa-metragem (indicado pela Holanda ao Último Oscar na categoria Melhor Filme Estrangeiro) cria um clima de tensão profundo ao longo desses seus objetivos minutos de projeção.  

Na trama, somos convidados a explorar a história da enfermeira Lucia de Berk (Ariane Schluter) uma mulher condenada à prisão perpétua em 2003 pela morte de sete pacientes. Ao longo da trama, vamos descobrindo segredos sobre o controverso processo de acusação feito pela promotoria, apenas baseado em dados estatísticos contra a réu. Sempre alegando ser inocente e sendo tratada como uma das maiores assassinas da história da Holanda, Lucia de Berk precisou enfrentar a desconfiança de quase todos para poder provar sua inocência. 

O filme muda sua perspectiva a cada instante, consegue ser dinâmico e muito denso ao mesmo tempo. É extremamente fiel a seu intuito e revelador na arte de apresentar seus segredos ao espectador. Após a apresentação dos personagens, um enorme dilema jurídico é instaurado no filme. Nessa parte é que a fita cresce bastante, deixando até leigos em direito com enorme interesse em saber as conclusões desta forte história. 

A atuação da atriz Ariane Schluter é avultada, compõe sua personagem de maneira cravejada, buscando o tempo todo transmitir suas angústias, medos e incertezas ao público. Ao longo dessa singular jornada, tiramos muitas conclusões da enfermeira Lucia de Berk. Ficamos com raiva e de repente estamos indignados. O roteiro, escrito por Moniek Kramer e Tijs van Marle merecem todos os méritos por esse conflito de conclusões.

A Acusada (Lucia de B.) estreia no mês de novembro nos cinemas brasileiros e, além de fundamental para todos os professores, estudantes e interessados em direito, é um filme que muita gente deve gostar bastante.

8 comentários:

  1. Bom, valeu apena pagar meia entrada no valor de 14,00 reais p/ assistir esse filme.

    Moral da história: pude aprender o quanto à " justiça" é falha em determinados casos de julgamento. Quantos inocentes estão presos injustamente?

    Ótimo filme que todos promotores, juízes, advogados e estudantes de direito devem asssitir, vale a pena!

    ResponderExcluir
  2. Uma grande injustica. No entanto,Os argumentos do filme dao a entender, sem explicar a razao, que no início ela nao coopera com sua própria defesa,mantendo-se calada, o que deve ter contribuido para a tese acusatoria. Também nao esclareca a qual compulsao secreta ela se referia no diário. Podia ter sido mais claro. De todo jeito, um bom filme sobre uma estória chocante.

    ResponderExcluir
  3. Uma grande injustica. No entanto,Os argumentos do filme dao a entender, sem explicar a razao, que no início ela nao coopera com sua própria defesa,mantendo-se calada, o que deve ter contribuido para a tese acusatoria. Também nao esclareca a qual compulsao secreta ela se referia no diário. Podia ter sido mais claro. De todo jeito, um bom filme sobre uma estória chocante.

    ResponderExcluir
  4. Muito interessante o filme sobre o caso. Uma grande injustica. No entanto,Os argumentos do filme dao a entender, sem explicar a razao, que no início ela nao coopera com sua própria defesa,mantendo-se calada, o que deve ter contribuido para a tese acusatoria. Também nao esclareca a qual compulsao secreta ela se referia no diário. Podia ter sido mais claro. De todo jeito, um bom filme sobre uma estória chocante.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Muito interessante o filme sobre o caso. Uma grande injustica. No entanto,os argumentos do filme dao a entender, sem explicar a razao, que no início ela nao coopera com sua própria defesa,mantendo-se calada, o que deve ter contribuido para a tese acusatoria. Também nao esclarece a qual compulsao secreta ela se referia no diário. Podia ter sido mais claro. De todo jeito, um bom filme sobre uma estória chocante.

    ResponderExcluir