Crítica do filme: 'Amor Bandido'

Após seu último filme, aclamado por crítica e público, O Abrigo, o jovem diretor norte-americano Jeff Nichols apostou na experiência de um ator sempre muito criticado pelo público cinéfilo - Matthew McConaughey (Magic Mike) -  e na juventude de um artista - Tye Sheridan (A Árvore da Vida) – para contar uma história sobre a redescoberta da confiança, a descoberta do espírito aventureiro e, porque não, dos incríveis laços de uma amizade. Amor Bandido se parece com tantos outros filmes que já vimos, nesse caso, o que convence são as ótimas atuações.

O drama – roteirizado pelo próprio diretor – conta a aventura de dois garotos de vidas complicadas, Ellis (Sheridan) e Neckbone (Jacob Lofland) , que inesperadamente encontram um misterioso homem chamado Mud (McConaughey) durante um passeio em uma ilha próxima a cidade onde moram, no Mississippi. Após o início inusitado dessa amizade, o contador de histórias Mud começa a mexer com o imaginário dos novos amigos contando sua trajetória dura de vida e explicando o real motivo de sua presença naquela solitária ilha –  ser feliz com um grande amor do passado. Aos poucos os dois jovens sao incorporados aos planos desse homem, fazendo de tudo pelo objetivo.

A modelagem do lado emocional e superticioso de personagem principal é uma das grandes armas do filme para prender o espectador. Mud tem um apego emocional e supersticiosos por sua camisa, causa carisma contando sobre convincentes histórias comovendo o público por esses e outros elementos. É um grande personagem, cheio de trunfos na manga. Se torna misterioso aos olhos dos seus dois amigos e aos olhos do público também – muito, por não sabermos se tudo aquilo que é dito com tamanha firmeza realmente aconteceu de fato. O espectador se transporta para a história facilmente, louco para descobrir qual será o desfecho.

Muitos atores foram cotados para o papel principal. Michael Shannon (O Homem de Aço) – com o qual já havia trabalhado com Nichols em O Abrigo -  e Chris Pine (Star Trek) (que quase assinou contrato em meados de maio do ano passado) estiveram perto de dar vida à Mud. Mas a primeira escolha do diretor sempre foi Matthew McConaughey, desde que o mesmo viu a atuação do artista no ótimo filme Lone Star - A Estrela Solitária (1997). A decisão não poderia ter sido mais acertada, McConaughey domina seu personagem do início ao fim.  A melhor atuação da carreira do artista que é casado com uma famosa modelo brasileira.


Todo rodado na cidade de Arkansas – terra natal do diretor do longa – Amor Bandido (mais uma péssima tradução de título aqui no Brasil) é um longa simples, repleto de diálogos muito bem escritos e tornando  uma grata surpresa, principalmente para aqueles cinéfilos que desconfiam do talento de McConaughey. Viva essa aventura! 

You Might Also Like

0 comentários