terça-feira, 11 de março de 2014

Crítica do filme: 'Refém da Paixão'



Aquele bom e velho Folk. Aquela boa e velha história de amor. Baseado no Best Seller de  Joyce Maynard, o novo filme da ganhadora do Oscar Kate Winslet fala sobre a perda e a reconquista do amor, o carinho pela figura materna, os conflitos da adolescência, tudo isso reunidos de forma leve, delicada, transpirando sentimentos bons. Dirigido pelo competente Jason Reitman (Juno), Refém da Paixão é um projeto para almas românticas.

A história gira em torno do jovem Henry (Gattlin Griffith), um menino tímido que mora com sua mãe Adele (Kate Winslet) em uma micro cidade no interior dos EUA. Desde que se separou, Adele leva uma vida depressiva e praticamente se isolando cada dia mais da sociedade ao seu redor. Tudo isso muda quando mãe e filho são surpreendidos dentro de um supermercado por um homem ferido que os pressiona por uma carona e acaba seqüestrando os dois. Esse homem chama-se Frank (Josh Brolin), um fugitivo da polícia que possui um passado triste marcado por um ato inconseqüente. Aos poucos esse novo personagem, com exímios dotes culinários, vai conquistando o carinho de mãe e filho que resolvem ajudá-lo a se esconder das autoridades que o procuram.

O filme retrata muito bem o sentimento do filho que sente a solidão da mãe mesmo sem saber direito o que é isso. As mãos trêmulas mostram uma mulher deprimida, arrasada pela vida e que sofre por não conseguir seguir em frente. Personagens com altas doses de drama é sempre uma missão para a Srta. Winslet. A espetacular atriz dá mais um dos seus famosos shows cênicos, domina como poucas a grande tela.

A trama busca fuga numa compreensível melancolia quando nasce um amor. Dançando rumba, criando receitas para deliciosas tortas de pêssego, o fugitivo e a mãe viram cúmplices, amigos, amantes. Uma relação pura e verdadeira vai se criando bem diante dos olhos atentos do espectador. Emoção é o que não vai falta.

Nunca abandone o espírito de amar o amar. Nunca viva nada pela metade. O filme manda inúmeras mensagens aos sonhadores de plantão, uma delas: você esperaria 20 anos para ter mais 3 dias com quem vocês sabem que nasceu para ser o seu amor? (eu sim :) ). Já no desfecho, algumas lágrimas podem brotar em seu rosto, se isso acontecer, não se preocupe! É um choro que limpa a alma e faz bem ao coração.

0 Postagens cinéfilas:

Postar um comentário

 
Copyright © Guia do Cinéfilo | Theme by BloggerThemes & simplywp | Sponsored by BB Blogging