segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

'50/50' - Crítica de filme com Raphael Camacho

Reunindo dois atores da nova geração, um roteiro bastante interessante e ótimos diálogos, essa nova ‘dramédia’ dirigida por Jonathan Levine promete cativar o espectador pelas salas de cinema mundo à fora.

O filme, que estreou dia 30 de setembro nos EUA, conta a história de Adam, um jovem de 27 anos que possui uma vida bastante ‘certinha’ (desde a primeira cena, isso fica claro). Até que um dia, a partir de uma dor nas costas, descobre possuir um tipo de câncer raro localizado em sua coluna. Com a mudança drástica de comportamento tem que enfrentar muitos obstáculos além de sua doença, para isso, conta com a ajuda do amigo de faculdade Kyle.

Para construir essa trama, Joseph Gordon-Levitt e Seth Rogen foram escalados para os papéis preponderantes. O primeiro dispensa comentários esse ano, um filme melhor que outro, esse não é diferente, consegue emocionar muito em meio a nuvem negra que ronda a cabeça de seu personagem. A cena da raspada de cabelo, obviamente de um take só, deve ter sido um bom desafio ao jovem artista. Já Seth Rogen sempre se destaca com seus ótimos diálogos e, claro, a maneira única que o mesmo executa isso. Os dois juntos conversam muito e vale o destaque para a cena em que mencionam muitos atores que tiveram câncer.

Com um roteiro de Will Reaser, ‘50/50’ fala muito mais sobre relacionamentos do que propriamente dito de câncer. Palmas para a boa atuação de Anjelica Huston, a atriz passa para o público muita verdade ao retratar o sofrimento de enfrentar a doença do filho.  Bryce Dallas Howard faz Rachael, a namorada do protagonista, que pisa na bola na hora que mais seu namorado precisa, a atriz californiana, que vinha de uma excelente atuação em ‘Vidas Cruzadas’, exagera um pouco na composição de sua personagem, porém, não compromete. Anna Kendrick, faz uma psicóloga de 24 anos que está no doutorado (um pouco de exagero né?) e acaba encurtando relações com o jovem personagem de Levitt. Esse relacionamento último comentado é muito bem projetado pelo bom roteiro de Reaser.

Quer se emocionar e rir? Veja esse filme! Recomendado!

3 Postagens cinéfilas:

JoBronze disse...

Assisti este filme ontem... É incrível. Ao ler uma sinopse, me surpreendi com essa mistura proposta de comédia e drama. Eles conseguiram mesclar isso muito bem, sem perder o melhor dos dois mundos. Afinal, falar de sexo e câncer no mesmo tom é complicadíssimo, e eles o fizeram muito bem! Excelente crítica! Só não vou compartilhar pelos spoilers, rsrsrs =) além disso, como sou psicóloga, pensei muito no posicionamento da mesma no filme, e ainda não cheguei a uma conclusão ética sobre o assunto, rsrsrs. Abração!

TETECO disse...

Belo filme! Sem querer acaba-se entrando no personagem principal e dá pra sentir as angústias, medos , incertezas do mesmo. Bacana quando ele fica sabendo que o amor sufocante da mãe ( segundo ele ) faz parte de um grupo de auto-ajuda de como conviver com alguém da família com câncer, bem como do amigo que está lendo um livro que fala como conviver com alguém com câncer...achei divino estes dois momentos do filme. Abração!!

Jana Soggia disse...

Adorei a proposta do seu blog. Tb sou cinéfila absoluta! Assistirei a este filme esta noite. Amanhã escrevo a minha apreciação.
Até mais... Jana Soggia
http://total-glam.blogspot.com

Postar um comentário

 
Copyright © Guia do Cinéfilo | Theme by BloggerThemes & simplywp | Sponsored by BB Blogging