domingo, 11 de dezembro de 2011

Tudo pelo Poder - Crítica de Cinema com Raphael Camacho

A eterna disputa pela presidência americana entre Republicanos e Democratas é o tema central do novo longa dirigido por George Clooney, ‘Tudo pelo Poder’. A política toma conta de grande parte dessa história mas o filme é muito mais que isso. Com excelentes atuações de um elenco estelar, ‘The Ides of March’ pode finalmente dar o Oscar ao talentoso ator Ryan Gosling.

Desde a cena inicial já sabíamos que coisa boa vinha pela frente. Sozinho no palco, um jovem talento da sétima arte é quem ditará o ritmo e será o grande protagonista da trama. O canadense Ryan Gosling é Stephen Meyers um assessor de imprensa extremamente competente que integra a equipe de um dos candidatos à presidência americana. Tudo se encaminha para uma vitória até que, a partir de um fato novo, uma rede de intrigas e traições tomam conta do ambiente deixando Meyers com novas escolhas a serem tomadas.

O elenco de gala que ajuda a contar essa história tem papel predominante para o grande elogio de crítica e público até agora.

Philip Seymour Hoffman é Paul Zara ,o líder de uma das partes da disputa e principal cérebro estrategista da campanha do Governador Morris, divide ótimas cenas com o personagem de Gosling. Tom Duffy, tem exatamente a mesma função que Zara, só que do lado oposto, o genial Paul Giamatti dá vida a esse intrigante personagem. Como em toda disputa presidencial a imprensa tem forte presença, Marisa Tomei com sua Ida Horowicz preenche essa lacuna de forma sensual e inteligente. A talentosa Evan Rachel Wood interpreta uma estagiária que faz parte de uma das campanhas e acaba tendo bastante influência na mudança de foco que o filme apresenta.

George Clooney comanda o espetáculo e também faz parte do elenco, como o governador Mike Morris. Aparece bem pouco na frente das câmeras deixando o restante do elenco ditar o ritmo. Tem uma direção muito segura e interpreta o governador de maneira objetiva sem deixar margem para erros.

Fato interessante no filme, a convicção torna-se desconfiança aos olhos de Stephen Meyers. É uma produção que bate muito na tecla das escolhas que tomamos, além é claro, do mundo conturbado da política. 
A fórmula deu certo, os olhos do espectador não desgrudam da tela.

O diálogo entre os personagens de Marisa Tomei e Ryan Gosling ao som do piano em um restaurante é sensacional.

Quem assina a trilha sonora é o sempre competente Alexandre Desplat (que foi indicado quatro vezes ao Oscar, nos últimos cinco anos).      

Com uma trama bastante consistente, baseada na peça de teatro "Farragut North" de Beau Willimon, esse novo filme de Clooney e cia chega aos nossos cinemas no dia 23 de dezembro e com certeza vai agradar a todos que curtem um bom filme cheio de reviravoltas. Recomendo com louvor!    

Por Raphael Camacho

Nenhum comentário:

Postar um comentário