Crítica do filme: 'Aí Vem o Diabo'


A cena lésbica no início esconde o que é a pífia história. Dirigido e escrito pelo espanhol Adrián García BoglianoAí vem o Diabo” é antes de qualquer coisa um filme que não se encaixa em nenhuma gênero. Tem cenas que lembram clássicos trash de décadas passada mas longe de ser uma homenagem ao gênero. É difícil o espectador ir até o fim, quando muitas cenas em que eram para dar medo as pessoas começam a rir, tem alguma coisa de errado. Mas, o maior de todos os pecados que o longa comete é tentar ser um filme de terror.

Na trama, conhecemos uma família que vive feliz em uma cidade com algumas lendas nas montanhas. Um dia, após um passeio por essas montanhas os dois filhos do casal somem, deixando os pais aterrorizados com o que poderia ter acontecido com eles. Horas mais tarde e depois de acionarem o xerife local, as crianças são encontradas e logo começam a agir de maneira esquisita. Assim, os pais resolvem investigar o que de fato ocorreu naquelas horas em que eles ficaram perdidos nas montanhas.

A fita tem muitas cenas de sexo picante. Para o que se propõe (encaixar-se no gênero terror) tem climas sexuais demais não? O roteiro é terrível, os atores não estão bem e a direção não ajuda na hora de juntar as peças e apresentar ao público. Tentaram recriar alguns efeitos de atividade paranormal, só que não conseguem, não há talento para isso. O ‘zoom’ nas expressões dos personagens parecem com aqueles momentos impactantes cômicos que vemos nos finais das novelas. É uma mistura de filmes do Zé do Caixão com aqueles que passem em alguns canais da Tv a cabo após às 00:00. Nada que se tenta no longa dá certo, é praticamente uma comédia trash de erros, misturados a uma direção bem abaixo do esperado.

Quando forem marcar seus longas para ver no Festival do Rio 2012, lembrem: cuidado! Aí vem o filme ruim!

You Might Also Like

0 comentários