domingo, 2 de setembro de 2012

Crítica do filme: 'Os Mercenários 2'


'...o epicentro do riso são auto-piadas de personagens de outros tempos...'

Dirigido pelo cineasta inglês Simon West (diretor de “Con Air – A Rota da Fuga”), “Os Mercenários 2” é um filme de ação que conta com um recheio generoso e nostálgico de comédia onde o epicentro do riso são auto-piadas de personagens de outros tempos que também foram interpretados por esses famosos atores de longas de ação. Empolga a platéia gerando risos aos montes, vai agradar uma legião de cinéfilos.

Na trama, novamente somos guiados por Barney Ross e sua gangue de sanguinários mercenários bonzinhos a mais uma missão vingativa que envolve um terrorista que pretende vender plutônio para pessoas com intenções perversas. Após a contratação de mais um integrante à equipe, Bill, os mercenários seguem uma missão atrás de outra conseguindo com êxito eliminar seus objetivos. Mas, quando uma das missões falha e o jovem Bill é capturado pelo vilão ‘Grande Dragão’, Barney e seus amigos partem um busca de vingança e contam com a ajuda de John McClane, do ‘Terminator’, além de Braddock.  

O filme consegue ser superior ao primeiro em muitos aspectos. O roteiro não é nada diferente do que já vimos em outras fitas de ação, a grande sacada é a maneira como as ‘piadinhas’ conseguem um grande efeito nos diálogos dos personagens. É como se ‘Os Mercenários 2” fosse uma grande união de antigos astros falando: ”Nós estamos mais velhos mas sabemos fazer um filme deste tipo”!

Muitos podem dizer que é um longa de ‘ação/pastelão’ mas não é bem assim. Tem história, tem fortes personagens, tem uma boa direção. É muito mais do que uma simples reunião de atores que marcaram uma geração. É uma grande oportunidade para uma recente geração conferir nas telonas esses vovôs que sempre prendem a atenção quando aparecem! Diverte e por isso vale a pena ser conferido!  

Um comentário:

  1. Filme para cinéfilo algum botar defeito. Os Mercenários.

    O gênero do cinema conhecido como filme de ação-polícial nunca caiu no gosto deos cinéfilos mais exigentes, cinéfilos mais exigentes.
    Nem todo cinéfilo deixa passar batido qualquer que seja o gênero do cinema.
    Cinéfilo ama cinema.
    Ama o cinema, e esta por dentro de tudo o que acontece na Sétima Arte.
    Seja o cinema maravilhoso, excelente, muito bom, bom, regular, ruim e péssimo.
    São compreensíveis os cinéfilos torcerem o nariz para o gênero filmes de ação-polícial.
    Cinéfilo quer um bom roteiro, uma boa história, boas atuações, figurinos, fotografia, trilha sonora...
    Um tipo de cinema que pode mudar o mundo, e se não mudar o mundo, pelo menos mudar aquele que o vê.
    Isto não se encontra nos filmes do gênero ação-polícial, raramente se encontra.
    O cinema de ação-polícial não tem esta pretensão.
    Quer apenas divertir e entreter apenas.
    Nunca teve a pretensão de mudar o mundo ou as pessoas.
    Nunca teve uma ideologia, apesar de alguns terem certa postura política, social, moral.

    Mesmo o maior fã dos filmes de ação-polícial, mesmo este, é obrigado na maioria das vezes a dar desconto para as marmeladas características do gênero ação-polícial e aventura também.

    O simbolismo de um filme.

    Nos últimos 30 anos do cinema americano de ação-polícial, alguns atores dominaram o gênero.
    Eles foram os que ganharam os melhores salários do cinema e que também levaram o numero maior de pessoas ao cinema.
    Eles influenciaram gerações.
    Academias de musculação e de artes marciais foram abertas no mundo todo.
    Sentimento de patriotismo e de dever.
    Luta pela justiça e a defesa dos mais fracos.
    Luta do bem contra o mal.

    Atores como Sylvester Stallone, Arnold Schwarzenegger, Chuck Norris, Jean-Claude Van Damme, Bruce Willis, Dolph Lundgren e Jet Li, são os principais nomes dos últimos 30 anos dos filmes de ação-polícial.

    O filme liderado pelo ator Sylvester stallone – que é o principal ator do gênero – chamado de Os Mercenários é extremamente simbólico.
    Stallone reúne no filme todos os atores principais dos últimos 30 anos.

    Fica parecendo – com certeza é – uma despedida do publico que os acompanharam nestes anos todos.
    O filme é uma grande confraternização do fim de uma época para todos eles.

    O filme Os Mercenários é um filme fiel ao gênero.
    Tem tudo, as virtudes e os defeitos, se é que isto importa, não importa.
    Eles estavam se despedindo, confraternizando, divertindo-se muito pelo que deu para perceber.

    Rindo muito deles mesmos.

    Filme inteiro tomado por humor entre eles e com o publico.
    O publico entendeu tudo.
    Estavam ainda familiarizados com eles.
    No final do filme o ator Bruce Willis presenteia Stallone com um avião velho.
    Stallone diz que o avião era peça de museu.
    Arnold Schwarzenegger comenta que eles próprios são peças de museu.

    Desde sempre vi estes filmes, mas na ultima década vi bem menos.
    Mas eu não poderia deixar de ver o filme Os Mercenários.
    Todos os meus heróis do cinema desde a minha adolescência estavam ali juntos. Algo impossível.
    Para os fãs eles eram rivais.
    Na minha cabeça de adolescente e de jovem nunca imaginaria um filme com todos eles juntos.

    Meus parabéns a sensibilidade do ator Silvester Stallone.
    Pela brilhante idéia de presentear os fãs de todos estes atores dos filmes de ação-polícial dos últimos 30 anos.
    Foi uma grande homenagem.
    Fechou com chave de ouro.

    O título inicial, filme para cinéfilo algum botar defeito foi só para sacanear!!!Rs!

    ResponderExcluir