terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Crítica do filme: 'Caça aos Gângsters'


O que fazer para derrubar o crime organizado que conta com a ajuda da corrupção para se manter acima de qualquer suspeita? Baseado no livro de Paul Lieberman, Caça aos Gângsters, o novo trabalho do diretor Ruben Fleischer (Zumbilândia) tem o propósito de entreter os amantes dos filmes de ação de décadas passadas. O ritmo é alucinante, um clima de ação e mutilações é instaurado. Cenas intensas e fortes recheiam o início do longa que conta com personagens peculiares (em trejeitos inusitados) na tentativa de um diferencial que muitas vezes parecem forçados. Alguns detalhes são observados pela lentes do diretor: um vilão pavio curto e suas excentricidades, efeitos no isqueiro de um dos personagens.  Às vezes parecem que dizem pouco mas ajudam a compor o que vemos no decorrer da história.

Na trama, passada numa Los Angeles sombria, no ano de 1949, uma equipe secreta de policiais liderados por um detetive que voltou da guerra para uma cidade deixada à margem do caos de crimes e delitos provocados por um homem que subiu na hierarquia da máfia pela força. Assim, o esquadrão antigângsters trabalharão juntos para derrubar o cruel Mickey Cohen que governa a cidade.
O filme melhora quando começa a seleção do futuro esquadrão. Um clima nostálgico e de glamour é embutido nas sequências dando um ritmo exótico à história. Uma espécie de Os Intocáveis dentro de uma romance noir. Algumas partes dramáticas são bem executadas, compondo os porquês e as causas pessoais de cada um dos justiceiros da lei. Destaque para a interpretação da excelente Mireille Enos (do seriado The Killing) que interpreta a mulher grávida do protagonista. O filme cresce com ela em cena.

As atuações não são destacadas mas também não comprometem. Josh Brolin interpreta um policial que volta da guerra e adora uma boa briga. Praticamente um treinamento de luxo para fazer o papel principal no remake americano do clássico filme oriental Oldboy. Ryan Gosling da vida ao Sgt. Jerry Wooters. É o tipo de personagem que não precisaria existir na trama mas o talento do artista canadense consegue sobrepor a um personagem mal escrito e o seu papel de coadjuvante muitas vezes passa a ser de protagonista.  O filme tem um destaque negativo: uma das mais apagadas interpretações de Sean Penn.

Com direito a Tica,Tica,Bum de Carmem Miranda, mafioso que adora sundae com calda de chocolate e uma equipe de especialistas em crime organizado, Caça aos Gângsters chega aos nosso cinemas na próxima sexta e promete levar os cinéfilos que adoram filmes de ação para o duelo entre as balas da uma arma contra as palavras da uma boca.


0 Postagens cinéfilas:

Postar um comentário

 
Copyright © Guia do Cinéfilo | Theme by BloggerThemes & simplywp | Sponsored by BB Blogging