Crítica do filme: 'Kon Tiki'

Até onde vai a coragem e o sonho de homem? Os cineasta noruegueses Joachim Rønning e Espen Sandberg (Bandidas) chegam aos cinemas brasileiros contando uma história real sobre uma aventura inacreditável que o explorador  Thor Heyerdahl viveu na década de 40  à bordo de um barco frágil enfrentando os perigos do mar. Com imagens belíssimas e um roteiro atraente e voltado aos conflitos pessoais, a produção escandinava conseguiu a proeza de estar na lista final que concorreu ao Oscar deste ano (lista que não teve o sucesso popstar Os Intocáveis), merecidamente diga-se de passagem.

Em Kon Tiki (filme que leva o nome do barco da missão) conhecemos mais de perto a história do lendário explorador de sociedades Thor Heyerdal que após muitas pesquisas, reunidas em um trabalho de quase uma década, resolve convencer seus patrocinadores a investirem em uma travessia de 4.300 milhas para dentro do oceano Pacífico navegando em uma jangada de madeira obsoleta, no ano de 1947, para provar sua teoria de que era possível para os sul-americanos, navegar e chegar na Polinésia pela América do Sul em tempos pré-colombianos.

O filme se sustenta nas crises pessoais de cada um dos integrantes dessa aventura, que são muito bem apresentados, principalmente seu protagonista, durante toda a história. A saudade, a esperança, a dúvida, o foco e o medo são elementos marcantes que vão consumindo os personagens nos momentos de tensão. Entre belas imagens e diálogos calorosos, o público é praticamente colocado dentro daquele barco de expedição não desgrudando o olho da telona.

Com um orçamento que passou dos U$$ 16 Milhões o filme demorou para ser realizado. O produtor executivo, Jeremy Thomas, queria fazer o longa desde 1996 mas só foi concedido o direito de contar essa história, pelo próprio Sr. Heyerdahl, pouco antes de sua morte, em 2002. O interessante disso tudo é que a tecnologia, utilizada para melhorias no mundo do cinema, teve inúmeras melhorias durante esse período e dezenas de recursos que antes não eram possíveis agora conseguem aproximar cada vez mais o espectador do que acontece nas telonas.

Muito bem produzido, Kon Tiki deve levar muitos amantes do gênero aventura aos cinemas, afinal, quem não gosta de se emocionar com uma história de conquista de um homem que sonhou e realizou?

You Might Also Like

0 comentários