quarta-feira, 3 de abril de 2013

Crítica do filme: G.I. Joe 2: Retaliação


Após um grande sucesso de bilheteria no primeiro filme da saga, o grupo de elite G.I.Joe, aqueles bonequinhos que brincávamos quando criança, voltam aos cinemas em 2013 dessa vez dirigidos pelo diretor responsável pelo documentário Justin Bieber: Never Say Never, o californiano Jon M. Chu. Armas de última geração e aparelhos tecnológicos tomam contam das sequências que devem agradar o público que gosta de filmes do gênero.

Nesse segundo filme da série, voltamos a reencontrar o esquadrão de elite do exército denominado G.I. Joe. Liderados, a princípio pelo Comandante Duke (Channing Tatum), se vêem envolvidos em uma conspiração onde são denunciados pelo Presidente do seu próprio País como criminosos e desertores. Assim, lutando contra tudo e todos resolvem provar sua inocência contando com uma ajuda surpreendente de um ex-inimigo.

O roteiro é raso, as informações são aceleradas. Mas, por incrível que pareça, as gracinhas dos personagens aproximam o público para a fraca história. O Capitão Colton (Bruce Willis) e seu colesterol alto possui cenas impagáveis recheadas de diversão nos diálogos. O Presidente Fake que joga Angry Birds também é um dos personagens que o público mais se diverte.

O filme despenca quando aparecem cenas dramáticas. Como não há o desenvolvimento das histórias pessoais dos personagens, nos momentos de dor, medo ou perda nenhuma gota de sentimento é passada. Isso é praticamente um padrão nos filmes de ação, muita atitude e pouco sentimento. De interessante e curioso, além das sequências de ação, G.I. Joe 2: Retaliação, tem uma grata surpresa em relação a sua trilha sonora. Uma canção inédita da banda Aerosmith, Legendary Child, poderá ser ouvida no filme. A música foi gravada em 1993 para o álbum Get a Grip, mas acabou ficando de fora e nunca foi lançada comercialmente.

Com cenas de ação a todo instante, muitos tiros e explosões o enredo acaba colocando o espectador com a sensação de estar dentro de um trailer interativo de um novo console. As cenas de luta são muito bem dirigidas, melhores que as cenas de tiroteio e explosões. O duelo de espadas no alto de uma montanha é muito bem filmada, se tornando um dos grandes destaques do longa.

Com muitos momentos cômicos G.I. Joe 2: Retaliação terá uma bilheteria positiva no mercado brasileiro mas será que é um bom filme? Veja e tire suas próprias conclusões.

  

Nenhum comentário:

Postar um comentário