quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Crítica do filme: 'O Grande Herói'



Depois de dirigir o horroroso Battleship: A Batalha dos Mares, o cineasta Peter Berg surpreende o mundo cinéfilo comandando o show de um dos melhores filmes de guerra dos últimos tempos, O Grande Herói. Os intensos dias de preparação de um grupo de Seals são postos em prática em uma terrível batalha física e psicológica nas montanhas do Afeganistão. Orçado em mais de U$$ 50 Milhões e com um elenco que corresponde a todo instante, o projeto tem tudo para ser aclamado por crítica e público aqui no Brasil, por mais que o nome em português não corresponda em nada ao que o filme mostra.

Na trama, acompanhamos a saga de quatro soldados de um grupamento especial da marinha norte-americana que precisam tomar uma decisão importante, em pleno território inimigo, de vida ou morte, quando uma operação é comprometida. Sendo encurralados por um pelotão de centenas de talibãs, com artilharia pesada, correm contra o tempo para buscar ajuda com o que restam de munições e sanidade mental.

A direção de Peter Berg é excelente, transportando o público para dentro daquela batalha de sobrevivência a todo instante. Parece que o contestado diretor resolveu de fato fazer um cinema de qualidade, onde não só as explosões, bombardeios e tiroteios comandam a trama. Nesse projeto, diferente dos demais, há o fator drama muito desenvolvido e captado pelas lentes certeiras do cineasta nova-iorquino. A cena do avião militar sendo destruído por um míssil lançado pelos inimigos é aterrorizante, angustiante e impressiona pelo realismo obtido.

O conflito, e grande clímax do filme, que se instaura já na metade do longa-metragem é se eles devem ou não matar aquelas pessoas que atrapalharam a missão. Uma mistura de medo, incerteza e bom senso tornam os acontecimentos seguintes guiados mais pela emoção do que pela razão. Os horrores de uma guerra são vistos pelos olhos cinéfilos da maneira mais real possível. O drama dos soldados e a luta pela sobrevivência tomam contornos extremos e surpreendentes.

A breve apresentação de um pouco da história dos personagens é o suficiente para entendermos suas atitudes futuras na história. Mesmo reunindo um grande número de rostos famosos do mundo do cinema, como: Mark Wahlberg, Taylor Kitsch, Emile Hirsch, Eric Bana e Ben Foster, ninguém que aparecer mais do que o outro, o que transforma O Grande Herói em um ótimo drama de guerra sobre um grupo de pessoas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário