Crítica do filme: 'Dois Lados do Amor' (O Desaparecimento de Eleanor Rigby)

Aqueles que se amam e são separados podem viver sua dor, mas isso não é desespero, eles sabem que o amor existe. Após alguns curtas de muito sucesso no cenário independente, o cineasta nova iorquino Ned Benson, em seu primeiro longa-metragem, resolve falar profundamente sobre um sentimento que consome muitos de nós, em determinadas partes de nossas vidas, o amor. Para tal, escreveu um roteiro muito interessante, que soa várias verdades universais, e chamou uma talentosa dupla de artistas para compor o casal protagonista. A fórmula dá mais que certo, leva o público à emoção em cada sequência.

Na trama, conhecemos o casal apaixonado Connor (James McAvoy) e Eleanor (Jessica Chastain), uma dupla de pombinhos que tinham uma relação maravilhosa até que por circunstâncias do destino o único filho do casal falece precocemente. A partir dessa situação, o casal não consegue mais se entender e começam a trilhar caminhos diferentes. Após uma tentativa de suicídio por parte de Eleanor, Connor reacende a paixão que há nessa relação e passa a tentar reconquistar sua esposa, percorrendo caminhos que machucam a todos os envolvidos.

A entrega dos atores em cena é algo louvável, visceral. Jessica Chastain tem uma de suas melhores atuações em um longa-metragem. Um absurdo ela ser esquecida por algumas premiações como o Oscar. Sua complexa personagem navega em sentimentos turbulentos e se constrói e descontrói a cada nova sequência, fazendo o público se emocionar bastante. Conseguimos sentir bem próximo a dor que a personagem possui, e o pior, o bloqueio que ela cria em torno de sua relação com o marido. Torcemos a cada instante para um final feliz mas conforme o filme avança em seus longos 120 minutos, percebemos que a felicidade é algo relativo nessa história que também podemos ler como uma espécie de redescoberta do amor.


Para um primeiro trabalho no mundo do cinema, Ned Benson passa com louvor no teste. A ideia era super arriscada, afinal falar sobre amor pode se tornar clichê e nunca atingir aos nossos corações com a profundidade que é necessária para se tornar inesquecível em nossa memória cinéfila mas, no fim desse projeto, é muito difícil o cinéfilo sair sem dar aquele sorrisão de quem viu um grande filme. Dois Lados do Amor estreia no brasil nesse primeiro semestre. Você não vai perder né? 

You Might Also Like

0 comentários