quarta-feira, 8 de abril de 2015

Crítica do filme: 'Velozes e Furiosos 7 '


Como fazer um filme regular para bom, utilizando matéria-prima de todos os filmes de uma franquia que rendeu seis longa-metragens? A tarefa não era fácil, beirou ao absurdo e no fim se tornou uma grande homenagem emocionante. Velozes e Furiosos 7 chegou aos cinemas brasileiros nesse mês e já levou muita gente para o cinema. O filme sofreu diversos cortes e cenas refeitas por conta do falecimento do ator Paul Walker. O diretor James Wan consegue ganhar um destaque criando um filme tão empolgante que parece que perece que perdemos uns dois quilos ao final da projeção. Mesmo assim, o roteiro absurdo incomoda e muito coisa poderia ser melhor amarrada nessa história. Velozes e Furiosos 7 é o famoso filme mais ou menos.

Na trama, voltamos a encontrar nossos já conhecidos Don (Vin Diesel) e Cia, dessa vez vivendo felizes, cada um em um lugar. Até que um dia, um criminoso impiedoso resolve partir para uma vingança cruel por conta da morte de seu irmão. Assim, Don e sua trupe de velozes motoristas precisam fazer de tudo para não deixar o mal vencer, e dessa vez contam também com a ajuda de um personagem intrigante, perito em operação de vigilância e muito bem interpretado pelo sempre querido por nós cinéfilos, Kurt Russell.

Um dos pontos altos do filme, além dos enquadramentos empolgantes do diretor, é um certo foco nas características marcantes dos personagens, principalmente a de Tyrese Gibson e seu hilário Roman  que tira risadas de todos na sala de cinema. Até mesmo o ar melancólico de Don (Vin Diesel), eterna luz e voz de comando da franquia, encaixa bem no roteiro mirabolante escrito por Chris Morgan. Sentimos o ronco do motor e adrenalina constante porém uma falta de coesão mais real para a história acaba também marcando esse encerramento de franquia.

A chegada do diretor James Wan foi ótima para dar mais novidades e criatividade para as ações contidas na história que beira ao mirabolante filme, muito por conta do absurdo roteiro, repleto de cenas impossíveis que somente nos cinemas conseguimos assistir. Deram um bico na realidade e tentaram criar uma trama repleta de adrenalina do início ao fim. Para quem é fã do gênero, o filme deve ter agradado bastante mas quando pensamos como cinema de uma maneira geral, o longa metragem  protagonizado uma última vez por Vin Diesel e companhia deixa um pouco a desejar, poderia ser muito mais real e acessível a nossa imaginação.


O filme não deixa de ser uma grande homenagem ao ator Paul Walker, que falecera no decorrer das filmagens deste trabalho. Por conta disso,  dá para perceber alguns arranjos no roteiro e algumas cenas refilmadas ao longa de toda a projeção. Levando tudo isso em consideração, Velozes e Furiosos 7 é um entretenimento aceitável pra quem curte filmes assim, e vai levar milhares de cinéfilos, principalmente aqueles que curtem os filmes de ação, para dentro dos cinemas.

0 Postagens cinéfilas:

Postar um comentário

 
Copyright © Guia do Cinéfilo | Theme by BloggerThemes & simplywp | Sponsored by BB Blogging