Crítica do filme: 'Os Penetras: Quem Dá Mais?'



Malandragem de verdade é viver. Tentando seguir o sucesso de público do primeiro filme (que teve mais de quatro milhões de ingressos vendidos em todo o Brasil), Os Penetras: Quem Dá Mais?, segundo longa metragem da franquia estrelada pelos humoristas Marcelo Adnet e Eduardo Sterblitch, é um pouco de mais do mesmo do primeiro filme. Dirigido novamente pelo cineasta Andrucha Waddington, o projeto tem alguns momentos engraçados mas o roteiro deixa a desejar. É o tipo de filme que é feito para divertir sem nem um compromisso com perfeições cinematográficas.

Na trama, voltamos a encontrar o ingênuo Beto (Eduardo Sterblitch) que acaba indo parar em uma clínica psiquiátrica após ter sido enganado mais uma vez pelo amigo de malandragem Marco (Marcelo Adnet). Com o cotidiano limitado, certo dia, Beto recebe uma mensagem e descobre que Marco acabou falecendo, assim resolve fugir da clínica e ir ao enterro do amigo, chegando lá encontra os outros parceiros de trambiques: a bela Laura (Mariana Ximenes) e o experiente malandro Nelson (Stepan Nercessian). Nesse reencontro acaba surgindo a possibilidade de um novo golpe ao mesmo tempo que Beto começa a ver o que parece ser o espírito de Marco em todos os passos que dá.

O roteiro acelera a trama central, não há profundidade. Fica limitado basicamente a uma outra boa cena cômica de Sterblitch, ou, alguma boa intervenção de Adnet em forma de espírito. O destaque cômico mesmo não fica marcado nos protagonistas mas para o coadjuvante Nelson, interpretado por Stepan Nercessian, que possui boas sequências ao longo da trama. Andar pelo caminho da malandragem, com os leques de opções sendo muito diverso, o roteiro pode acabar se perdendo, principalmente se tentar adicionar clichês a todo instante, como fica bem claro no filme.

Os Penetras: Quem Dá Mais? Estreia na próxima quinta-feira, 19 de janeiro, nos cinemas e promete ter uma boa média de público e pegar o rabo do foguete Minha Mãe é uma Peça 2 que é o mais novo fenômeno em vendas do cinema nacional.

You Might Also Like

0 comentários